MENU

08/10/2020 às 22h25min - Atualizada em 08/10/2020 às 22h25min

Quais os métodos utilizados nos Estados Unidos para combater a dependência química?

Combate internacional ao vício de drogas

Portal de Recuperação - Fernando
portalderecuperacao.com.br/
portalderecuperacao.com.br/

A experiência dos Estados Unidos no combate da dependência química pode ser usada como referência para analisarmos os métodos adotados no Brasil e em outras partes do mundo. Esse tem sido um objeto de discussão entre especialistas da área.

Ainda que a legislação estadunidense seja descentralizada, ao contrário do que acontece por aqui, algumas práticas são presentes na maioria dos estados norte-americanos. E nota-se uma tendência de descriminalização do consumo de diversas substâncias nos EUA, tratando a drogadição como uma questão de saúde pública e não de polícia.

Essa é uma escolha muito mais assertiva. Afinal de contas, a guerra às drogas tem se mostrado ineficiente há décadas.

Além do mais, a reincidência de crimes praticados por viciados é muito menor quando eles são submetidos a tratamentos de saúde do que quando são mandados para a cadeia. Uma reabilitação bem feita é vantajosa para o indivíduo e para a sociedade.

Nesse sentido, é muito importante refletirmos a respeito, conhecendo os métodos que são usados no exterior e que têm dado certo. Isso pode contribuir, inclusive, para nortear as suas escolhas ao tratar um familiar que esteja passando pelo problema.


 

O método dos EUA no combate à dependência química

Os principais objetivos do método dos Estados Unidos na reabilitação de dependentes químicos são dois:

1. Superação do vício: ajuda a pessoa a se desintoxicar com um tratamento sério, multidisciplinar e supervisionado por profissionais capacitados para lidar com a situação;

2. Romper o ciclo de crimes: lamentavelmente, consumir drogas não é o único ato ilícito do viciado. Ele fica muito mais propenso a cometer outros delitos para alimentar o seu vício. Por isso, a segunda proposta do método estadunidense é romper o ciclo de crimes para que os dependentes parem de retornar ao Sistema Judiciário e sigam com as suas vidas normalmente.

Um exemplo prático dessa abordagem foi apresentado pela especialista Tara Kunkel em um seminário realizado em São Paulo. Ela trouxe como referência o caso de uma viciada em crack de 35 anos de idade.

A mulher já havia sido presa inúmeras vezes, perdido a guarda dos filhos e chegou a se prostituir para sustentar o consumo da droga. No entanto, ao invés de voltar para trás das grades, foi apresentado um acordo a ela em uma de suas passagens pelos tribunais.

A paciente deveria aceitar um tratamento intensivo pelo prazo de 18 meses. Ao longo desse período, deveria se submeter a exames para que o progresso pudesse ser avaliado. O acordo foi aceito.

O resultado foi surpreendente. A ex-usuária se desintoxicou, conseguiu recuperar a guarda dos filhos, está empregada e há mais de 5 anos livre do vício. Como recompensa, as queixas que teriam levado ela à prisão foram retiradas.

O método foi concebido em 1989 e tem surtido bons efeitos, que vão muito além do exemplo citado. Sem sombra de dúvidas, essa pode ser uma inspiração para que a dependência química seja tratada e o indivíduo possa ser reintegrado à sociedade de uma forma mais produtiva.

Portal de Clínicas de Recuperação, busca através de profissionais gabaritados trazer ao leitor matérias explicativas para saber lidar com esta terrível doença que assola todo mundo, onde você também encontrará diversos tipos e unidades de tratamento para fazer uma internação ou buscar apoio profissional.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Onde realizar o tratamento de dependentes químicos?

0%
5.0%
95.0%
Podemos Ajudar?