MENU

28/08/2020 às 11h21min - Atualizada em 28/08/2020 às 11h21min

A busca por tratamento de dependentes em clínicas de recuperação aumentam na época de coronavírus

Guia de Clínica - Fernando
https://guiadeclinica.com.br/
guiadeclinica.com.br


No cenário atual com a pandemia do novo coronavírus, inúmeras pessoas  que são dependentes de drogas e álcool tem uma grande probabilidade de se infectar e passar a sua família com o vírus, tendo isso em vista a busca por tratamento em clínicas de recuperação aumentam em uma grande proporção.

O que é COVID-19

Os coronavírus são uma grande família de vírus comuns em muitas espécies diferentes de animais, incluindo camelos, gado, gatos e morcegos. Raramente, os coronavírus que infectam animais podem infectar pessoas, como exemplo do MERS-CoV e SARS-CoV.

Recentemente, em dezembro de 2019, houve a transmissão de um novo coronavírus (SARS-CoV-2), o qual foi identificado em Wuhan na China e causou a COVID-19, sendo em seguida disseminada e transmitida pessoa a pessoa.

A COVID-19 é uma doença causada pelo coronavírus, denominado SARS-CoV-2, que apresenta um espectro clínico variando de infecções assintomáticas a quadros graves.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a maioria (cerca de 80%) dos pacientes com COVID-19 podem ser assintomáticos ou oligossintomáticos (poucos sintomas), e aproximadamente 20% dos casos detectados requer atendimento hospitalar por apresentarem dificuldade respiratória, dos quais aproximadamente 5% podem necessitar de suporte ventilatório.

O tratamento em clínicas de recuperação da dependência química ou alcoolismo, sempre que possível, deve ser realizado com o consentimento e o desejo do dependente.

A conscientização da necessidade de tratamento pelo dependente, muitas vezes, faz diferença em relação ao tempo de internação.

Mas há alguns casos em que o dependente pode ser levado a um internamento involuntário, isto é, pode ser obrigado a se tratar para se livrar do vício a pedido de responsáveis e/ou familiares, no Guia de Clínicas de Recuperação é possível encontrar diversos tipos de tratamento para o combate ao vicio. 

Isso acontece em casos em que o dependente do uso de drogas e/ou álcool precisa ser encaminhado para tratamento porque seu vício representa perigo para a própria saúde, da família e/ou da sociedade em que vive.

A dependência é tão grande que a conscientização da necessidade de se submeter a um tratamento contra a dependência química ou alcoolismo não é possível.

As drogas ou álcool já fazem tanta parte da vida do paciente, que domina completamente seus desejos e vontades.

O internamento involuntário é um procedimento planejado e seguro de interromper o progresso destrutivo atravessado por quem sofre com os vícios causados pela bebida e as drogas.

Como solicitar o tratamento involuntário?

Quando a família consegue identificar o usuário de drogas ou alcoólatra, muito provavelmente que o nível da dependência esteja em um grau muito elevado.

Normalmente, com o passar do tempo, este nível de dependência apenas tende a aumentar, colocando em risco a vida do dependente e de todos que vivem a sua volta, principalmente se levarmos em conta que um dependente, quando dominado pelo vício e em uso da substância, não consegue dar um basta no consumo e, em sua maioria, perde o controle de seus atos, noções de realidade, da moralidade ou regras sociais.

O processo de desintoxicação do organismo de um dependente químico não é simples. Restringir o consumo da droga não é recomendado e pode até oferecer risco à saúde da pessoa em casos mais graves.

Assim, durante essa fase, a ingestão dessa substância deve ocorrer em doses gradualmente menores até a completa desintoxicação.

Esse processo pode gerar alguns efeitos colaterais, como o aparecimento de sintomas que antes estavam mascarados pelo uso da substância.

Nesse sentido, depressão e outros transtornos mentais podem acometer um indivíduo em tratamento. Por isso, pode ser necessário administrar medicamentos para combatê-los.

Não é incomum que o tratamento de um dependente de cocaína exija a internação. Isso porque a desintoxicação demanda o auxílio de uma equipe multidisciplinar (formada por médicos, enfermeiros, psicólogos, entre outros profissionais) e infraestrutura adequada.

Além disso, esse procedimento faz com que o dependente químico se afaste de situações que possam favorecer o consumo da droga.

O tratamento involuntário se faz necessário e correto para impedir o domínio das drogas ou álcool sobre o dependente, de maneira segura, profissional e eficaz.

Conscientizados da necessidade de intervenção para proteção da vida, não há tempo a perder.

Com a incapacidade do dependente de tomar a decisão de aceitar ajuda ou de concretizar um tratamento voluntariamente para obter uma nova vida sem o domínio das drogas ou álcool, cabe aos responsáveis ou familiares a tomada de decisão.

A dependência é tão grande que a conscientização da necessidade de se submeter a um tratamento contra a dependência química ou alcoolismo não é possível. 

Leia mais em nosso Guia de Clínicas de Recuperação artigos que te ajudarão a fazer um tratamento adequado.

Vale lembrar que contamos com clínicas de dependentes químicos em todo Brasil.

Fale via WhatsApp: (11)97023-3830

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Onde realizar o tratamento de dependentes químicos?

0%
9.4%
90.6%
Podemos Ajudar?