MENU

09/10/2020 às 23h35min - Atualizada em 09/10/2020 às 23h35min

Saiba as medidas mais eficazes para se fazer uma internação involuntária

Procedimentos Necessários

Portal de Recuperação - Fernando
portalderecuperacao.com.br/
portalderecuperacao.com.br/

Dentre os processos de internação disponíveis nas clínicas de reabilitação no Brasil, há alternativas legais sem o consentimento do paciente. Porém, é preciso ter cautela e escolher as medidas mais eficazes para se fazer uma internação involuntária.

Afinal, ela é vista pelos especialistas como o último recurso. Ele deve ser aplicado somente quando não há outra saída possível.

O indivíduo normalmente passa pelo processo de internação involuntária quando está oferecendo riscos para ele próprio e para as demais pessoas. Devido à sua incapacidade de reconhecer os males extremos da dependência química grave, ele é internado por familiares.

Mas afinal, o que deve ser feito? Como realizar essa intervenção e solicitar uma remoção involuntária?

É preciso informar-se a respeito antes de tomar qualquer decisão. Isso pode ser acordado junto à clínica que será responsável pelo tratamento. Logo mais estarão os detalhes.


 

Quando é realmente necessário fazer o pedido de internação involuntária?


 

A prioridade sempre é dada para internações voluntárias. Ou seja, o paciente deve ser convencido através do diálogo de que ele precisa se desintoxicar. A partir do momento que ele reconhece o seu vício, os resultados do tratamento tendem a ser muito mais expressivos.

No entanto, há situações extremas onde o consumo de entorpecentes tornou-se tão doentio que o sujeito perde a capacidade de compreender a própria doença. Quando ele corre o risco de prejudicar a si mesmo e a integridade das pessoas no seu entorno, a internação involuntária é indicada.

As famílias, no geral, identificam essa necessidade ao meio a surtos psicóticos do dependente químico ou alcoólatra. Ou, ainda, quando percebem que isso está prestes a acontecer e se repetir.


 

Quais as medidas práticas para fazer o procedimento de internação involuntária?


 

A internação involuntária é pautada pela Lei 13.840 de 2019. Ela prevê que os familiares ou responsáveis legais do paciente possam fazer a requisição.

Porém, as medidas são complexas. É preciso que um médico autorize e assine um laudo após analisar o caso. Para tanto, o profissional precisa ter CRM, o registro no Conselho Regional de Medicina.

Caso a requisição seja aprovada pelas autoridades competentes, ela tem um prazo máximo de 90 dias. Ao longo desse período, a clínica responsável fará a desintoxicação e monitoramento do paciente para que ele se recupere.

Se no decorrer do prazo estabelecido a família ou os responsáveis legais quiserem interromper o tratamento, elas podem fazer essa requisição a qualquer momento. Ou seja, o paciente pode ser liberado da clínica de recuperação.


 

O papel da clínica na internação involuntária


 

O papel desempenhado pela clínica de reabilitação no processo de internação involuntária é fundamental. Portanto, é preciso escolher com muito zelo qual será essa instituição.

Tenha certeza de que o tratamento realizado é equilibrado. Existem muitos relatos e condenações por maus tratos, onde a desintoxicação é conduzida de maneira desumana e abusiva.

Verifique previamente a reputação da instituição e firme uma parceria confiável. Além disso, esteja presente ao longo do tratamento para ter plena certeza de que os procedimentos estão sendo conduzidos adequadamente.

Portal de Clínicas de Recuperação, busca através de profissionais gabaritados trazer ao leitor matérias explicativas para saber lidar com esta terrível doença que assola todo mundo, onde você também encontrará diversos tipos e unidades de tratamento para fazer uma internação ou buscar apoio profissional.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Onde realizar o tratamento de dependentes químicos?

0%
5.0%
95.0%
Podemos Ajudar?