MENU

09/11/2020 às 13h22min - Atualizada em 09/11/2020 às 13h22min

O que é tabagismo?

Doenças causadas pelo cigarro

Portal de Recuperação
Portal de Recuperação
O tabagismo é uma doença (dependência de nicotina) que tem relação com aproximadamente 50 enfermidades, dentre elas vários tipos de câncer (pulmão, laringe, faringe, esôfago, estômago, pâncreas, fígado, rim, bexiga, colo de útero, leucemia), doenças do aparelho respiratório (enfisema pulmonar, bronquite crônica, asma, infecções respiratórias) e doenças cardiovasculares (angina, infarto agudo do miocárdio, hipertensão arterial, aneurismas, acidente vascular cerebral, tromboses).

Há ainda outras doenças relacionadas ao tabagismo: úlcera do aparelho digestivo; osteoporose; catarata; impotência sexual no homem; infertilidade na mulher; menopausa precoce e complicações na gravidez. Estima-se que, no Brasil, a cada ano, cerca de 157 mil pessoas morram precocemente devido às doenças causadas pelo tabagismo.

Os fumantes adoecem com uma frequência duas vezes maior que os não fumantes. Têm menor resistência física, menos fôlego e pior desempenho nos esportes e na vida sexual do que os não fumantes. Além disso, envelhecem mais rapidamente e ficam com os dentes amarelados, cabelos opacos, pele enrugada e impregnada pelo odor do fumo. 

O Dia Mundial Sem Tabaco – 31 de maio – foi criado em 1987 pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para alertar sobre as doenças e mortes evitáveis relacionadas ao tabagismo. No Brasil, o INCA é o responsável pela divulgação e elaboração do material técnico para subsidiar as comemorações em níveis federal, estadual e municipal.

 

Considerando o contexto epidemiológico decorrente da pandemia do coronavírus e estudos que indicam associação entre tabagismo e desfechos mais graves da Covid-19 (doença causada pelo novo coronavírus), este espaço reúne materiais criados para orientar e informar as redes estaduais e municipais de controle do tabagismo, parceiros do controle do tabaco e demais interessados nas duas temáticas.

O tabagismo é reconhecido como uma doença crônica, causada pela dependência à nicotina presente nos produtos à base de tabaco, e é o maior fator de risco evitável de adoecimentos e mortes no mundo. Além disso, é uma condição importante para complicações da Covid-19.

Os riscos do tabagismo também estão relacionados ao contágio, pois o ato de fumar proporciona constante contato dos dedos (e possivelmente de cigarros contaminados) com os lábios, aumentando a possibilidade da transmissão do vírus para a boca.

O uso de produtos que envolvem compartilhamento de bocais para inalar a fumaça — como narguilé (cachimbo d´água) e dispositivos eletrônicos para fumar (cigarros eletrônicos e cigarros de tabaco aquecido), — pode facilitar a transmissão do coronavírus. Há ainda o tabagismo passivo (não fumantes que convivem com fumantes na mesma casa ou em outros ambientes), que aumenta o risco de infecções respiratórias agudas.

Por esses motivos, a Organização Mundial da Saúde (OMS), o INCA e diversos órgãos da saúde, encorajam as pessoas a pararem de fumar para minimizar os riscos associados à pandemia de Covid-19, tanto para os fumantes quanto para as pessoas expostas ao fumo passivo.

Se você é fumante e recebeu o diagnóstico de câncer, é bom conhecer as vantagens de parar de fumar o mais breve possível. Muitas pessoas acreditam que não adianta mais parar de fumar se já estão com câncer, mas não é verdade.

Fumantes que interrompem o tabagismo quando tomam conhecimento da doença experimentam grandes benefícios, a começar por melhorar seu prognóstico e sua qualidade de vida. O tabagismo é o principal fator de risco para o desenvolvimento do câncer, e o único sob controle direto do próprio paciente. Com ajuda especializada parar de fumar pode ser mais fácil do que você imagina.

A cessação do tabagismo ao iniciar o tratamento oncológico proporciona:

  • Maiores chances de sobrevida, menor risco de recidiva e de incidência de 2º tumor primário tabaco relacionado.
  • Melhor resposta e eficácia dos tratamentos propostos, qualidade de vida e controle da dor.
  • Elevação da autoestima.
  • Redução do período de internação, de efeitos colaterais da radioterapia e quimioterapia. 
  • Menores riscos de complicações cirúrgicas (embolia pulmonar, deiscência de suturas e infecções), de complicações dos tratamentos radioterápico e quimioterápico, e do desenvolvimento ou piora de outras doenças relacionadas ao tabaco.

Se você é paciente do INCA e quiser ajuda para deixar de fumar, basta telefonar para o Centro de Tratamento de Tabagismo do INCA, tendo em mãos seu cartão e número de matrícula na Instituição. Tel.: 32071775.

O tabagismo é fator de risco para a Covid-19. Devido a um possível comprometimento da capacidade pulmonar, o fumante possui mais chances de desenvolver sintomas graves da doença. Parar de fumar pode reduzir risco de desenvolver a forma mais severa da Covid-19.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Onde realizar o tratamento de dependentes químicos?

0%
3.6%
96.4%
Podemos Ajudar?