MENU

17/09/2020 às 23h22min - Atualizada em 17/09/2020 às 23h22min

Tratamento Compulsório: Internação forçada como fazer

Guia de Clínica - Fernando
https://guiadeclinica.com.br/tratamento-compulsorio-internacao-forcada-como-fazer.html
https://guiadeclinica.com.br/tratamento-compulsorio-internacao-forcada-como-fazer.html

Mesmo tendo todos os recursos para que o dependente químico deixe de ser um dependente, infelizmente, nem sempre dar certo. As drogas tem um grande poder sobre o usuário, afetando o cérebro dele, podendo deixá-lo agressivo, a ponto de pequenas brigas tornarem tragédias.

O dependente químico vai perdendo o contato com a família, com os amigos, colegas de trabalho, vizinhos, enfim, com a sociedade em um todo, a fim de somente usar drogas, colocando-as como o “centro das atenções’ de sua própria vida.

Quando isso acontece, o dependente químico tem o direito de se internar, ou por vontade própria, ou a mando de terceiros (família ou representante legal), contudo, o dependente químico também pode ter uma internação forçada, mesmo sem o consentimento de seus familiares.

ENTENDA COMO FUNCIONA O TRATAMENTO COMPULSÓRIO

Esse tipo de tratamento ocorre a pedido da justiça, por motivos que o dependente químico pode ser uma ameaça para si e para a sociedade. Também quando ele não está se adaptando aos tratamentos cedidos. Infelizmente esse tipo de tratamento é mais impactante, porque o dependente químico é internado à força - por isso é o tratamento é chamado de compulsório-, o que pode ser um momento triste para ele e para quem ele convive.

O tratamento compulsório, mesmo sendo acionado pela justiça, pode ser demorado, normalmente é condicionada outra ordem judicial para esse processo. A equipe de profissionais da saúde que foi responsável pelo tratamento do dependente, encaminha o pedido para a justiça, tendo como provar que o dependente não se tratou direito, como foi solicitado.

A abordagem do dependente químico deve ser realizada por uma equipe composta por médico, psicólogo e assistente social, sem nenhuma intervenção de policiais. Esses profissionais irão saber como falar e o que fazer para que esse momento seja menos assustador e doloroso para o dependente químico.

Na abordagem os profissionais devem manter a calma, dizendo as vantagens do indivíduo se internar, por exemplo, que ele poderá conviver melhor com quem as pessoas que ele ama, porque o uso das drogas não estão fazendo bem para ambos.

Quando o dependente químico é internado, o intuito é ele se livrar desse mal, porém, ele pode voltar ao uso das drogas. Por isso, o tratamento compulsório não tem dias específicos, os profissionais não prometem uma data para o paciente sair da clínica, tudo depende da forma que o paciente irá reagir fazendo o tratamento.

SERÁ QUE O TRATAMENTO COMPULSÓRIO É UMA BOA SOLUÇÃO?

O tratamento compulsório, mesmo sendo uma internação forçada, dependendo do caso que o usuário se encontra é a alternativa mais cabível. Ela uma solução triste, pois ninguém espera ser internado à força, mas contudo acaba se tornando uma boa solução.

Na clínica de recuperação Grupo Casoto o paciente irá receber o auxílio necessário para fazer a desintoxicação, ter acesso às terapias, ele faz atividades que o prazer de VIVER NOVAMENTE, volta. Ele se sente um cidadão, se prepara para voltar a sociedade, voltar a ter atividades de lazer com a família.

Mesmo sendo um momento difícil, ele se torna útil para a sociedade. O dependente químico não sente mais vontade de viver, mas o tratamento é relevante e necessário para esses casos.

Não tenha vergonha de pedir ajuda aos mais próximos e ir procurar ajuda de profissionais, você não está errado, apenas dará mais valor a sua saúde, além dos seus amigos e familiares ficarem felizes em ter você, novamente por perto!

Encontre uma unidade mais próxima aqui em nosso Guia de Clínica de Recuperação.

Fonte: https://guiadeclinica.com.br/tratamento-compulsorio-internacao-forcada-como-fazer.html


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Onde realizar o tratamento de dependentes químicos?

0%
5.0%
95.0%
Podemos Ajudar?