MENU

15/10/2020 às 00h04min - Atualizada em 15/10/2020 às 00h04min

Como é vida de um viciado em heroína?

A queda de um plano de vida

Portal de Recuperação - Fernando
portalderecuperacao.com.br/
portalderecuperacao.com.br/


A heroína é um tipo de analgésico que vicia e que é capaz de matar. E para ficar dependente na substância não é difícil: bastam 7 a 14 dias. Hoje veremos como é a vida de um viciado em heroína.

A fim de contextualizar o uso da substância, é interessante conhecermos a sua origem. Ela foi sintetizada a partir de um medicamento amplamente conhecido ao redor do mundo: a morfina.

A primeira vez que a heroína foi produzida foi em meados de 1898. Durante muito tempo, ela foi considerada um remédio, sendo aplicada inclusive para curar a dependência química em analgésicos.

No entanto, com o avanço do conhecimento e da experiência no uso da substância, foi constatado que ela é pelo menos 3 vezes mais forte que a morfina. Não é por acaso que a sua fabricação acabou sendo suspensa e proibida em todo o mundo.

Assim como acontece no caso de outras drogas que são derivadas do ópio, a heroína é depressora do sistema nervoso central. Seus efeitos imediatos são tontura e sensação de entorpecimento, misturadas com euforia e leveza.

Os usuários relatam que a droga é capaz de ajudar a fugir da realidade. Muitos começam a utilizá-la para aliviar o estresse, a angústia e até mesmo a dor física. O efeito dura por horas.

O grande problema está nas consequências a longo prazo. Logo mais você vai conhecer algumas delas.

 

Como é o dia a dia de um dependente de heroína

A maneira mais comum de consumo da heroína e através de injeções que a colocam diretamente na corrente sanguínea. Por si só, o processo já é arriscado e deixa muitas marcas.

Mas, quando consideramos as condições insalubres e o compartilhamento de agulhas que é frequente nesse meio, torna-se ainda pior. O viciado em heroína está muito mais suscetível à transmissão de outras doenças e a ter overdoses perigosas.

Com o tempo, a heroína ainda desregula o sistema hormonal e a produção de endorfinas. Dessa maneira, os quadros de crise de abstinência são muito mais assustadores. O usuário tem vômitos, calafrios, paranoia e pode inclusive ter convulsões.

Essas reações adversas fazem com que ele volte para o vício. Assim, o ciclo vicioso só se fortalece.

Por essa razão, outras esferas da vida do dependente químico de heroína são afetadas. Relações familiares, amorosas, profissionais e a própria autoestima e autoconfiança ficam fragilizadas.

Aliás, há quem cometa delitos para alimentar o seu vício. Mentir, enganar familiares e roubar objetos de dentro de casa para trocar por mais doses são somente alguns exemplos.

 

Como se curar do vício em heroína

Livrar-se da dependência por heroína é um processo demorado e complexo. Ele dificilmente dará certo se não for acompanhado por especialistas e profissionais de diferentes áreas.

Além disso, o usuário precisa contar com o suporte emocional de familiares e amigos. Se você conhece alguém em uma situação difícil devido ao consumo dessa ou de outras drogas, procure por um atendimento especializado em clínicas de recuperação.

O quanto antes esse importante passo for tomado, maiores as chances de uma reabilitação bem sucedida.


Portal de Clínicas de Recuperação, busca através de profissionais gabaritados trazer ao leitor matérias explicativas para saber lidar com esta terrível doença que assola todo mundo, onde você também encontrará diversos tipos e unidades de tratamento para fazer uma internação ou buscar apoio profissional.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Onde realizar o tratamento de dependentes químicos?

0%
9.4%
90.6%
Podemos Ajudar?